O início da vida e as emoções: concepção, gestação, parto, amamentação e 3 primeiros anos


“Se os estados investissem mais nas condições de concepção e gestação, em apenas três gerações poderiam se fechar as penitenciárias e hospitais.” Esta contundente afirmação resume a teoria da concepção consciente, que estimula uma preparação para homens e mulheres que desejam trazer ao mundo uma criança. O processo que antecede a geração de uma vida deve incluir desde uma nutrição adequada até o desligamento de traumas que vêm sendo transmitido por várias gerações.

Segundo a Ciência do Início da Vida, teorizada pela médica psiquiatra Eleanor Madruga Luzes, as emoções emanadas pelo pai e pela mãe na hora da concepção, quando surge a célula-tronco, ficam registradas na estrutura do DNA. “Por isso é preciso haver muita harmonia nesta hora”, afirma Eleanor, que é doutora em psicologia e escreveu a tese “Necessidade do Ensino da Ciência do Início da Vida”.

De acordo com ela, que é analista junguiana há 31 anos e trabalhou com obstetrícia, “tudo o que você não sabe que lhe aconteceu quando você foi concebido e gestado está escrito na sua célula, no seu inconsciente”. Inspirada na nova biologia, a terapeuta defende em sua teoria que o DNA é como uma antena que emite e recebe radiação na frequência de 150 hertz (a mesma de todos os meios de comunicação). Portanto, as vibrações são transmitidas não apenas entre as células e os seres, mas também de cada pessoa para o seu meio e vice-versa.

O trabalho reúne mais de 2 mil referências bibliográficas de diversas áreas científicas. Foram mais de 20 anos de pesquisa também da arte e das tradições, observando o que elas têm em comum quando falam de preparação para uma maternidade e paternidade conscientes, concepção, gestação, parto natural, aleitamento materno e os três primeiros anos de vida. Trata-se de saber como ter um filho com uma saúde plena física, mental e espiritual. Um ser pacífico e com grande amor próprio, que pode ser a garantia de uma humanidade amorosa, fraterna e autossustentável.

O DNA como matriz emocional

A partir da descoberta dos neuropeptídios, as moléculas de emoção que ligam os sistemas nervoso, endócrino e imunológico, compreendeu-se que os sentimentos negativos que recebemos no começo da vida marcam a produção desses neuropeptídeos, funcionando como uma espécie de droga. “As pessoas buscam de forma inconsciente situações que a liberem para tê-la no corpo”, comenta a especialista.

Ela destaca que as moléculas de emoções negativas tendem a se reproduzir. Quando alguma questão sentimental se torna um problema, passa a se repetir até que a solução seja encontrada. “Esta repetição nada tem a ver com masoquismo, e sim com ampliação da consciência, pois aí ocorre uma transformação.”

No livro “A Biologia da Crença”, que sintetiza as descobertas da nova biologia, Bruce Lipton cita a existência de um “gen transfer”, que modifica o ambiente a partir das células que emanam de cada corpo. Portanto, quando algum padrão é modificado, ele não transforma apenas a sua prole, mas também o meio social, para que todos os organismos evoluam juntos.

“O DNA é uma molécula bastante complexa. Alguns dissidentes do projeto genoma contam que ele é um supercondutor orgânico, com capacidade de armazenamento equivalente a 3GB. Do total, só 10% condicionam caracteres físicos. No momento específico da concepção é que esta molécula é impressa”, informa Eleanor.

A Ciência do Início da Vida aborda ainda a importância da nutrição antes da concepção, que altera o padrão genético da criança. Chama a atenção para o perigo do uso de álcool, drogas e transgênicos no período de fecundação. Os agrotóxicos também são considerados de alto risco, pois seu armazenamento nas células é cumulativo e só sai do organismo da mulher através do leite.

Por uma geração saudável

Um trabalho feito na Índia há quase 40 anos e publicado em 2002 com o título "The Emotional World of Fetus - Revealing Fetal Psychology" (O mundo emocional do feto – Revelando a psicologia fetal), verificou na prática o resultado da preparação proposta pela CIV. Os pesquisadores acompanharam 6 mil casais, que quando decidiam ter filhos eram orientados a fazer treinamento de meditação e imaginação. Apesar de ser uma região muito pobre, 70% das crianças tinham qualidade de temperamento e inteligência socioemocional muito superior às demais.

No Ocidente, além da disseminação de dietas de desintoxicação, diversas técnicas quânticas têm sido utilizadas para o trabalho chamado de "limpeza da matriz emocional". São práticas terapêuticas que causam transformações rápidas. Entre estas terapias estão a respiração holotrópica, que tem experiências documentadas com mais de 10 milhões de pessoas, a terapia crânio sacral, a biossíntese e a constelação familiar.

Muitas vezes problemas de gerações passadas bloqueiam nossas ações. Porém, mexendo no padrão vibracional, pode-se obter curas de toda uma linhagem ancestral. “Em uma ou duas sessões as pessoas chegam em suas matrizes e se libertam de memórias relacionadas aos períodos de gestação, parto e infância”, conta Eleanor.

Aprofunde-se com a gente

Quer aprender a aplicar estes conhecimento na prática, promovendo uma profunda limpeza do seu DNA emocional e transformando a sua vida? Cadastre-se aqui e receba informações, conteúdos e exercícios exclusivos sobre os temas do curso de educação emocional Conhece-te.

Conheça as principais ideias desta teoria nos vídeos abaixo:

Concepção consciente

Gestação consciente

Parto natural

Aleitamento materno

3 primeiros anos de vida


Destaques
Posts recentes
Arquivo
Palavras-chave
Nenhum tag.